top of page

Big Four - Dedo de Nossa Senhora: Trilha e escalada na Serra dos Órgãos

Atualizado: 12 de jan.


Escalada Dedo de Nossa Senhora Serra dos Órgãos

O Dedinho de Nossa Senhora pertence ao Parque Nacional da Serra dos Órgãos (PARNASO) e é localizado em Guapimirim. Fica ao lado do Dedo de Deus e faz parte do Big Four, uma escarpa de quatro picos da Serra (Escalavrado, Dedo de Nossa Senhora, Dedo de Deus, Cabeça de Peixe) tão desejada pelos montanhistas.

O Dedinho possui 1.320m de altitude e pode ser acessado através de caminhada semi-pesada e escalada artificial fixa como via principal. Os primeiros conquistadores desse cume foram Sylvia Bendy e William Richard Bendy em 1934, e apesar de ser o menor dos quatro, é considerado uma das vistas mais incríveis da região, de onde é possível ver o Dedo de Deus, Garrafão, Cabeça de Peixe, Escalavrado, Agulha do Diabo, além de outras montanhas da Serra dos Órgãos.

⚠ Lembre-se que antes de fazer a trilha é necessário dar entrada no PARNASO e assinar o tempo de risco/responsabilidade e ao finalizar a trilha, é preciso passar novamente na portaria para dar baixa (dizer que está tudo okay).

Resumo Dedo de Nossa Senhora

* Os dados sobre "Dificuldade Média" são baseados no documento oficial da FERMEJ (Federação de Esportes de Montanha do Estado do Rio de Janeiro), clique aqui e saiba mais sobre a Metodologia de Classificação de Trilhas.

 


 

Qual a melhor época para subir o Dedo de Nossa Senhora?


A melhor época é durante a Temporada de Montanha que vai de abril a setembro, isso porque tendemos a ter dias mais secos (sem chuvas e raios) e abertos, tornando mais segura a conquista. Não é impeditivo ir fora dessa época desde que consiga uma boa janela de tempo.


Como é a trilha para o Dedo de Nossa Senhora na Serra dos Órgãos?


É recomendado começar a trilha cedo para conseguir aproveitar o caminho e fazer tudo com segurança e paciência. Seu início é sinalizado por uma placa, onde entramos e seguimos por uma trilha. Essa trilha todavia não é muito bem sinalizada e tem escalaminhada bem presente. No meio do percurso até o colo, existe um córrego d'água, e sua vazão é variável de acordo com o nível de chuva da época.

Após aproximadamente 1h30 de caminhada chegamos no colo e aqui começa os lances de artificial fixo. São duas enfiadas de artificial fixa até terminar e recomeçar uma nova trilha. O tempo vai variar conforme a quantidade de pessoas e o quão habilidosos são nas técnicas de ascensão, assim como força e altura, pois percebi que faz bastante diferença.


Mas o que é uma escalada em artificial fixa?


A modalidade leva esse nome porque não há progressão da pessoa em contato direto com a rocha e sim através de equipamentos fixados podendo ser grampos ou chapeletas que ajudam na sua ascensão. No geral, são em trechos em que os conquistadores acharam muito desafiador e escolheram essa modalidade para sua maior segurança. Caso fosse artificial móvel, seria através de peças móveis como friends, stoppers, entre outros. Nesse caso, é uma sequência de grampos que idealmente os escaladores usam estribos para superar os lances até atingir o cume ou uma ascensão em corda fixa.


Já adianto que alguns grampos são muito distantes gerando uma maior dificuldade caso você possua uma envergadura pequena. Como eu já estava esperando por isso, levamos uma corda extra semi estática para eu ter um apoio caso precisasse aplicar algum outro tipo de técnica. Além disso, ter duas cordas facilitou na hora das descidas do rapel.


Depois da aventura da escalada, que para mim demorou em torno de 1h30 desde que coloquei a cadeirinha, entramos na trilha novamente e seguimos por uma caneleta de barro (na época estava bem erodida, então é bom tomar cuidado) até finalmente acessar o cume.



Após aproveitar o cume, relaxar, ver como as cadeias montanhosas são lindas e assinar o livro do cume, chegou a hora de rapelar. No geral feita por uma outra via mais exposta, mas como não havia mais ninguém nesse dia, resolvemos descer pelo mesmo caminho que subimos e voltar com a sensação de que ter alcançado mais um cume extraordinário da Serra dos Órgãos.


Nome das montanhas Escalada Dedo de Nossa Senhora Serra dos Órgãos
 

Orientações para subir o Dedo de Nossa Senhora

  • Leve lanterna;

  • Leve lanche reforçado por se tratar de uma atividade longa. O tempo de trilha aproximado é de 10h, mas irá variar do quão experiente você é;

  • Não existe fonte d'água no caminho, recomendo levar entre 1.5l e 3l de água (apenas bem no início da trilha);

  • Procure ir leve para conseguir fazer a trilha e escalar com uma melhor performance;

  • É necessário levar alguns equipos extras, dependendo se estará como participante ou com guia.


🔗 Links que podem te ajudar:


No atual momento (2023), é necessário pedir autorização ao PARNASO para realizar a escalada e não está sendo cobrada a entrada.

0 comentário

Comments


Quem escreve?

Fernanda Diva sorrindo sobre uma montanha de nevada

Fernanda Diva

Design sem nome (18).png

Sou montanhista, viajante, cientista, escoteira, nômade digital, criadora de conteúdo outdoor & fundadora da SOUL AVENTUREIRA. Falo aqui sobre trekking, camping, escalada, montanhas, cachoeiras, praias e muita informação sobre o universo outdoor. 
Acompanhe minhas aventuras
@soul.aventureira!

Aproveite os descontos!

Curso Vivências Outdoor

G0384793_1597165029915(1)_edited.jpg

Fique por dentro!

Seja avisado sobre novas aventuras! Prometo que você só vai receber conteúdo que vale a pena!

Obrigado(a) pela inscrição! Faça parte também da Comunidade Aventureira: clique aqui!

Informações, Equipos e Técnicas

1/3
bottom of page