top of page

Escalada na Agulha do Diabo: top 15 escaladas mais desejadas do mundo!

Atualizado: 19 de mar.



Você provavelmente já ouviu falar na Agulha do Diabo, além de ser um marco do montanhismo brasileiro, também é desejada por muitos montanhistas ao redor do mundo. A Agulha do Diabo é um pico com 2.050m de altitude que pertence ao Parque Nacional da Serra dos Órgãos (PARNASO), em Guapimirim no estado do Rio de Janeiro. Ela pode ser conquistada de duas formas: bate e volta ou com pernoite, a segunda opção será a que irei relatar.


Se você, assim como eu, também sonha em realizar esse feito, entenda: você precisa se preparar fisicamente e emocionalmente, e vou te explicar o porque nesse post!


Resumo Agulha do Diabo
Resumo Agulha do Diabo

* Os dados sobre "Dificuldade Média" são baseados no documento oficial da FERMEJ (Federação de Esportes de Montanha do Estado do Rio de Janeiro), clique aqui e saiba mais sobre a Metodologia de Classificação de Trilhas.

 

O que você vai encontrar neste post?


 

Qual a melhor época para conhecer a Agulha do Diabo?


A melhor época é durante a Temporada de Montanha que vai de abril a setembro, isso porque tendemos a ter dias mais secos (sem chuvas e raios) e abertos, dando preferência a dias com vento menos intenso, tornando mais segura a conquista. Não é impeditivo ir fora dessa época desde que consiga uma boa janela de tempo.



História da Agulha do Diabo


Inicialmente batizada como "Penhasco Fantasma" e posteriormente renomeada como Agulha do Diabo é uma das escaladas mais clássicas do Brasil, e sua importância histórica para o montanhismo nacional é incontestável. A ascensão dessa incrível montanha, com sua formação pontiaguda e seu "mini" cume, representa um marco no cenário do montanhismo no país.


Ao longo de dois anos, os conquistadores enfrentaram uma série de desafios para chegar aos 2.050 metros da montanha em 1940. Além das dificuldades da escalada em si, eles também tiveram que lidar com o acesso penoso à base, atravessando o vale entre as montanhas Santo Antônio e São João. Atualmente, o percurso é pelo "Caminho das Orquídeas" que foi aberto em 1965 para facilitar o acesso até a Agulha do Diabo. Naquela época, os equipamentos disponíveis eram precários, pesados e volumosos, o que tornava a escalada ainda mais desafiadora.



Conquistadores: Giuseppe Toselli, Roberto Menezes de Oliveira, Raul Fioratti, Günther Buchheister e Almy Ulissea


Como é a trilha para a Agulha do Diabo?


A trilha se inicia na sede de Teresópolis do PARNASO, e ela pode ser dividida em duas etapas: a primeira seria a caminhada até o Mirante do Inferno e a segunda até a base da via.


As informações da trilha até o Mirante do Inferno podem ser encontradas nesse artigo. A primeira parte é a caminhada tradicional que leva até a Pedra do Sino. Uma opção é seguir até a bifurcação que leva até o Mirante ou pegar o Paredão Paraguaio que encurta o caminho, porém é mais íngreme com leves escalaminhadas. Esse percurso irá durar cerca de 3h dependendo do caminho a ser escolhido assim como da modalidade.



Caso vá realizar o pernoite, o mesmo será feito no Paquequer que fica há 15min do Mirante do Inferno. É necessário agendamento e autorização para o mesmo.


O percurso que leva do Mirante do Inferno até a base da via da Agulha do diabo que possui o trecho mais delicado de trilha durante cerca de 1h. O primeiro trecho é a mesma que leva até o São João e logo após tem a bifurcação para a Agulha. É necessário descer até a base da grota e depois subir até a base da via passando pelo vale da geladeira. A trilha como um todo merece atenção pois existem diversos trechos escorregadios e e erodidos, além de ser área de desmoronamento. Você irá encontrar diversos tipos de escalaminhada e inclusive uma pequena chaminé para vencer na gruta da geladeira.

<