top of page

9 formas de captar água na trilha

Atualizado: 19 de mar.



Antes de explicar as 9 formas de captação de água na trilha, queria te lembrar que é sempre importante:

  • Levar a quantidade ideal de água para cada tipo de aventura;

  • Existem situações em que se torna inviável levar a quantidade toda ou se torna muito cansativo e por terem fontes naturais, optamos pela captação durante o trajeto;

  • Outras formas de captação aqui citadas são recomendadas em caso de emergência ou sobrevivência, por não serem muito práticas. Espero que você nunca tenha que utilizar esses métodos, mas acredito que a fonte de informação é o caminho seguro para que você tenha conhecimento sobre possibilidades.


SEMPRE trate a água que você captar, para que ela passe por um processo de purificação e não tenha a chance de te contaminar e acabar aumentando suas chances de desidratação ou gerando outros problemas com relação a sua saúde.



Fontes mais comuns de captação de água na trilha

1. FONTES NATURAIS:


É provavelmente a situação que você mais irá utilizar, até hoje só precisei dessa. Basicamente você capta água de nascentes, riachos, lagos, mananciais, brejos e córregos, de preferência com água em movimento. Se puder, opte pela captação do ponto mais alto, onde a coloração é mais clara / cristalina. Cuidado na hora da captação para não captar a água muito próximo ao solo e evite locais onde você vê animais transitando, fezes e também banho de pessoas, assim como água com odor, mais turva ou parada.



2️. FRUTAS / LEGUMES:


Você pode carregar alimentos que possuam uma quantidade maior de água, lembrando que no geral possuem mais peso. Pode ser que tenha no caminho da sua trilha (lembre-se do Leave no Trace) pessoas vendendo água de coco, por exemplo (bem comum em trilhas urbanas praianas).



3️. CHUVA:


Funciona em locais que tem uma maior incidência de chuva, você pode capturar ela com um recipiente e depois tratar. É um processo mais demorado, mas que em uma situação de emergência funciona.




Formas de captação de água em situação emergencial

4️. CIPÓ D'ÁGUA:


Fica dependurado entre os galhos ou solo, possuindo cor amarronzada. Para esse caso é necessário um estudo mais profundo para saber reconhecer corretamente. É necessário cortar um pedaço na parte alta de 10 a 20 cm. Ele libera água em pouca quantidade, porém pura, podendo ser sua salvação em uma questão de sobrevivência. Não consuma caso não esteja translucida e sem cheiro. A água do Cipó D'água é fresca e pura, por isso nunca beba se o cipó produzir líquidos leitosos ou amargo. O melhor é o de casca grossa.


5. CACTOS:


Ao cortar você consegue uma certa quantidade de água (bem pouca, mas em uma situação emergencial pode salvar sua vida). Também é recomendado estudos mais profundos para reconhecer as espécies que podem ser utilizadas. Os cactos bojudos e xique xiques são os mais recomendados nessa situação.


6. ORVALHO MATINAL:


No geral, em ambientes montanhosos e frios, o orvalho matinal está sempre presente. Você pode captar com um paninho limpo e ir juntando num recipiente para depois purificar.



7. PLANTAS COM COROAS:


Um exemplo bem comum são as bromélias que acumulam bastante água. Ideal nesse caso também estudar as possíveis plantas que presentes na região em que você irá realizar suas trilhas.


8. BAMBUS:


Alguns bambus mais amarelados e velhos podem possuir água no seu interior. Ao sacudir, caso escute barulho, pode fazer um furo e recolher essa água. Não se esqueça de realizar o tratamento, principalmente por ser uma água mais parada.



Forma de captação de água em situação EMERGENCIAL EXTREMA


9. ÁGUA DO MAR:


É utilizada em casos extremos, e você precisa destilar a água para depois purificar. Apresento essa possibilidade a título de curiosidade, já que é bem mais complexo e o foco desse post não é falar sobre sobrevivência, e sim sobre atividades planejadas. A captação da água do mar é possível, mas se não preparada adequadamente ela pode piorar seu quadro de desidratação pela alta quantidade de sal.




Qual usar?

Idealmente, na nossa vida cotidiana, as fontes naturais para reabastecimento e as frutas / legumes que fazem parte da alimentação são as mais recomendadas, mas lembre-se: planejar a quantidade ideal de água para sua atividade antes de sair de casa é o melhor caminho para não se colocar em situações de risco.

2 comentários

2 תגובות


Jennifer Oliveira
Jennifer Oliveira
19 באפר׳ 2023

Obrigada Fe por compartilhar. Senti falta de uma explicação das formas práticas que podemos fazer para filtrar água na trilha. Você podia fazer um post só falando disso né!? Eu sempre levo Clorin comigo, nas travessias e trilhas mais longas, mas confesso que careço de mais conhecimento sobre outros métodos.

לייק
oisoulaventureira
oisoulaventureira
19 באפר׳ 2023
בתשובה לפוסט של

Obrigada Jennifer, fico feliz de ter se interessado. Claro, vou trabalhar em um post sobre isso. Trazer diferentes métodos além do Clorin e também benefícios/malefícios de cada método. O que acha?

לייק

Quem escreve?

Fernanda Diva sorrindo sobre uma montanha de nevada

Fernanda Diva

Design sem nome (18).png

Sou montanhista, viajante, cientista, escoteira, nômade digital, criadora de conteúdo outdoor & fundadora da SOUL AVENTUREIRA. Falo aqui sobre trekking, camping, escalada, montanhas, cachoeiras, praias e muita informação sobre o universo outdoor. 
Acompanhe minhas aventuras
@soul.aventureira!

Aproveite os descontos!

Curso Vivências Outdoor

G0384793_1597165029915(1)_edited.jpg

Fique por dentro!

Seja avisado sobre novas aventuras! Prometo que você só vai receber conteúdo que vale a pena!

Obrigado(a) pela inscrição! Faça parte também da Comunidade Aventureira: clique aqui!

Informações, Equipos e Técnicas

1/3
bottom of page